Logo
Logo
Banner Diolaser Banner Diolaser Banner Diolaser
Escolha uma Unidade

Estado:

Unidade:

Notícias


Lipoescultura Gessada


23/08/2017 - Visualizações: 203


Lipoescultura Gessada

Apesar do nome, a Lipoescultura Gessada não é feita com gesso. Ela recebeu esse nome porque o paciente deve ficar completamente imóvel por certo tempo até que os produtos comecem a fazer efeito, diminuindo a gordura localizada, as celulites, as varizes e a flacidez.

Curiosa? Então, saiba mais sobre esse incrível tratamento.

O que é?

A Lipoescultura Gessada é uma técnica ortomolecular que consiste na aplicação de bandagens embebidas em produtos, nas regiões das pernas, barriga, quadril e braços.  O cliente fica imobilizado por essas bandagens por alguns minutos, portanto o nome Lipoescultura Gessada.

Alguns princípios ativos são colocados nessas regiões para acelerar o processo de queima de calorias como Argila verde, Éster metil do Ácido piridino carboxil, Atóxico cafeína, Algas marinhas, Centella asiatica e outros que, quando em contato com a pele, podem acelerar o processo de queimação de gordura. O método é considerado não invasivo, econômico e vem ganhando vários adeptos interessados em seus benefícios.

Quais são os principais benefícios?

Os principais benefícios da Lipoescultura Gessada estão justamente em seu método de aplicação, já que não é um procedimento invasivo, não necessita de cortes. É algo simples e eficaz. Acredita-se que esse tratamento contribua para a tonificação muscular e oxigenação do tecido conjuntivo. Além disso, após a sessão, não são necessárias grandes restrições que possam atrapalhar a rotina.

A Lipoescultura Gessada pode ser aplicada para: desintoxicação de tecidos, regeneração das células, modelagem do corpo, rigidez muscular, redução da gordura localizada de forma gradual, drenagem linfática do organismo, oxigenação do tecido conjuntivo e redução de flacidez da pele decorrente da perda de peso abrupta.

Quais são as contra indicações?

O procedimento não é indicado para: gestantes, lactantes, portadores de doenças crônicas e marca-passo, febre e insuficiência renal crônica, por mais que o procedimento não seja invasivo. Em caso de dúvida, contate o seu médico para uma orientação personalizada.

Os riscos associados a esse procedimento também podem estar ligados à alergia a alguns dos produtos utilizados, por isso é preciso avaliar todos os compostos utilizados e a reação do seu corpo a eles. Por não ser invasiva, não há riscos inerentes à cirurgia e infecções.

Comentários:

Ninguém comentou ainda, clique aqui e seja o primeiro a comentar.